Jung e a Sexualidade

Movimento perfeito

Que masculino e feminino circulem em perfeita harmonia no profundo de cada ser
Na suavidade dos passos que dirigem um ao outro
Na beleza dos corpos que se unem
No contínuo circular, no subir e descer
No tocar e deslizar com assertividade e coragem
No encontro do preto e do branco que tão próximos deslizam ao espaço do cinza
No abraço que funde mas não confunde
Nas mãos que contêm mas não detém
Nas cordas que suspendem e surpreendem
No balanço da vida que insiste e persiste
E no final do espetáculo, quando juntos celebram o mistério, a confiança e a magia da conjunção.

Acesse a apresentação